Contato

Companhia farmacêutica global acelera a entrega de serviços com containers

Alinhada às mudanças do setor, a Boehringer Ingelheim, uma das maiores empresas farmacêuticas no mundo, precisava introduzir novos serviços digitais, como telemedicina e registros eletrônicos de saúde (EHRs) aos seus clientes. Com o objetivo de apoiar práticas de desenvolvimento mais rápidas e responsivas e manter-se em conformidade com as regulamentações do setor, a empresa adotou o Red Hat OpenShift, uma plataforma empresarial de aplicações em container. Combinando o Red Hat OpenShift com a técnica de entrega contínua (CD), a Boehringer Ingelheim obteve resultados como: lançamento de serviços cinco vezes mais rápido, escalabilidade e gerenciamento otimizados com a automação e melhorias na contratação de talentos graças ao sucesso da estratégia open source empresarial.

image container


Benefícios

  • Tempo de entrega cinco vezes mais rápido
  • Automação do processo de geração de documentação, mantendo a precisão e conformidade 
  • Melhor resposta à demanda com escalabilidade automática
  • Maior atração e retenção de talentos

Transformação da TI para atender às mudanças na indústria farmacêutica

A mudança para o atendimento de saúde digital está criando novos desafios para a indústria farmacêutica. Os profissionais do setor estão se tornando cada vez mais experientes em tecnologia para responder a essas transformações.

“Estamos percebendo uma nova demanda para fornecer informações diretamente aos médicos, pacientes e tutores de animais de estimação por meio de telemedicina, registros eletrônicos de saúde (EHRs) e outras soluções digitais”, disse Clemens Utschig-Utschig, Chefe de Estratégia de TI e CTO da Boehringer Ingelheim. “Profissionais e pacientes querem tratar a saúde de forma mais holística, não apenas tratando as doenças, mas procurando soluções que vão além dos comprimidos prescrevidos.” 

Uma empresa familiar fundada em 1885, a Boehringer Ingelheim é hoje uma das 20 maiores companhias da indústria farmacêutica no mundo. Ela trabalha para criar valor por meio da inovação em três áreas de negócios: produtos farmacêuticos, saúde animal e biofármacos. 

Para buscar oferecer experiências digitais, a Boehringer Ingelheim estabeleceu uma estratégia de tecnologia focada na otimização de dados, processos e governança, além de estabelecer equipes de produtos com as habilidades certas para assumir essa nova abordagem comercial. Como parte dessa estratégia, a empresa procurou instalar um laboratório digital utilizando a tecnologia de container.

“Precisamos realizar atualizações mais frequentes, 3 ou 4 vezes por dia e, ao mesmo tempo, manter a conformidade”, disse Utschig-Utschig. “Como uma companhia farmacêutica, precisamos ser capazes de escalar nossos recursos de computação e cargas de trabalho em segundos para responder às solicitações de dados externas na velocidade que os negócios exigem.”

Adoção de containers Kubernetes com o Red Hat OpenShift

A Boehringer Ingelheim buscou uma plataforma open source empresarial de aplicações em container e decidiu trabalhar com um parceiro de longa data, a Red Hat, para implantar o Red Hat OpenShift. A solução fornece operações estáveis e automação completa para dar suporte à produtividade do desenvolvedor por meio de integração e entrega contínuas (CI/CD) e recursos de segurança abrangentes.

“Com o open source podemos corrigir qualquer erro por conta própria e em poucos dias, e conseguimos criar muitas melhorias para automatizar nossos processos por completo. Entretanto, nossa análise descobriu que somente o Kubernetes não oferecia a integração que queríamos”, disse Utschig-Utschig. “O Red Hat OpenShift nos oferece um framework Kubernetes empresarial com estabilidade, gerenciamento de ciclo de vida, integração de armazenamento e recursos de autorização necessários para operações farmacêuticas críticas.” 

Após criar e lançar seu primeiro cluster do Red Hat OpenShift Container Platform em menos de dois meses, a Boehringer Ingelheim implantou 10 clusters, auto-hospedados e operados em seus datacenters na China, Alemanha e Estados Unidos, com planos de expandir para Viena, na Áustria. Além disso, a empresa aderiu ao Red Hat OpenShift Dedicated, um ambiente de alta disponibilidade executado em sua nuvem pública da Amazon Web Services (AWS) e gerenciado pela Red Hat.

"Uma combinação do Red Hat OpenShift autogerenciado e totalmente gerenciado nos deu flexibilidade e facilidade de uso para implantar aplicações rapidamente, onde e como precisamos, para que nossos desenvolvedores possam gastar tempo criando inovações para nossos clientes, e não realizando tarefas operacionais", disse Clemens. 

Para apoiar a adoção do Red Hat OpenShift, a Boehringer Ingelheim usa o OpenDevStack, uma plataforma open source que fornece ferramentas e aplicações padronizados para dar suporte à rápida adesão dos processos de entrega contínua (CD) em setores altamente regulamentados.

A empresa já lançou 11 produtos digitais na plataforma e tem mais de 150 em desenvolvimento atualmente – de soluções para integração e análise de cidadãos a sistemas de TI de base. Por exemplo, a Boehringer Ingelheim usa o Red Hat OpenShift para executar o PetPro, um aplicativo de saúde para animais de estimação que oferece telemedicina, programas de fidelidade e outras funcionalidades para centenas de milhares de tutores de pets.

Equilíbrio entre desenvolvimento eficiente e conformidade

Time to market cinco vezes mais rápido

Com uma plataforma de container self-service e flexível, que conta com aplicações de provisionamento fáceis de usar, os desenvolvedores podem criar novos ambientes de container para testes ou produção de forma rápida e independente. Isso melhora a produtividade e o time to market. A automação ajuda a assegurar que os ambientes atendam aos rigorosos requisitos de segurança e conformidade da empresa, sem exigir trabalho extra de codificação por parte dos desenvolvedores.

“Com nossos processos iterativos e abordagem modular de autosserviço, nossos desenvolvedores podem trabalhar de forma mais rápida e inteligente para criar mais aplicações para nossos clientes, em vez de perder tempo com infraestrutura”, disse Utschig-Utschig. “Com a capacidade de automação do Red Hat OpenShift e uma abordagem de entrega contínua, estamos vendo funcionalidades e aplicações chegando ao mercado cinco vezes mais rápido.”

Otimização do processo de conformidade de documentação

A documentação é fundamental para empresas que trabalham em setores altamente regulamentados, como a indústria farmacêutica. Antigamente, as equipes de desenvolvimento da Boehringer Ingelheim recebiam a documentação de forma manual e precisavam fazer atualizações após cada alteração. Agora, com o Red Hat OpenShift, os desenvolvedores da empresa podem gerar uma documentação precisa e atualizada diretamente de sua base de código em uma única etapa, economizando tempo e reduzindo a chance de erros.

“Precisamos manter registros meticulosos das alterações em nossas aplicações”, disse Utschig-Utschig. “Agora podemos gerar um conjunto de documentação instantaneamente. O controle de origem mantém os dados principais centralizados, dessa forma os desenvolvedores podem receber uma versão para atualizar enquanto mantemos a conformidade com as regulamentações de dados.”

Mais estabilidade com a escala automática

A demanda por aplicações e serviços da Boehringer Ingelheim varia durante o ano; por exemplo, devido às campanhas de marketing específicas e a adição de clientes em novos mercados. A empresa usa as funções de escala automática e reversão (roll-back) do Red Hat OpenShift para ajustar dinamicamente sua alocação de containers e outros recursos de aplicações, oferecendo serviços estáveis aos clientes.

“O Red Hat OpenShift oferece um ambiente de container empresarial para hospedar produtos digitais e aplicações modernas on-premise e na nuvem. Os desenvolvedores conseguem implantar código e aplicações de forma consistente, sem alterações ou refatoração”, disse Ziad Ataya, Chefe Global de Serviços de Cloud Computing da Boehringer Ingelheim. “Isso nos permitiu passar de aplicações monolíticas para microsserviços com facilidade, com a oportunidade de repensar a implantação usando uma abordagem azul-verde e aproveitando o roll-back de versões sem downtime.”

As verificações de integridade embutidas monitoram e ajustam o desempenho do ambiente do container. Por exemplo, se um container travar ou apresentar um erro, o Red Hat OpenShift automaticamente cria um substituto para assegurar o desempenho de maneira consistente para os usuários externos. A capacidade de roll-back de versão ajuda a empresa a experimentar a modernização de aplicações sem ter o risco de sofrer downtime.

“Além de escalar rapidamente, poderemos alocar containers extras se o uso aumentar e, depois, realocar recursos não utilizados quando a demanda cair de volta ao normal, em tempo real", disse
Torsten Heddesheimer, Arquiteto Chefe de Infraestrutura de TI da Boehringer Ingelheim. “Essa capacidade é um dos principais benefícios de usar o Red Hat OpenShift para aproveitar ao máximo o Kubernetes.”

Maior atração e retenção de talentos

Adotar uma tecnologia open source, como o Red Hat OpenShift baseado em Kubernetes e o OpenDevStack, ajudou a Boehringer Ingelheim a atrair e manter talentos de engenharia altamente qualificados e inovadores que ajudarão a construir as soluções de TI que sustentarão sua liderança contínua no mercado farmacêutico.

“Toda tecnologia moderna é open source”, disse Michael Sauter, Engenheiro Distinto de back-end da Boehringer Ingelheim. “A maioria dos engenheiros prefere trabalhar com open source, pois podem lê-lo, entendê-lo e contribuir com ele. Tivemos candidatos que mencionaram ter analisado nosso trabalho com open source para ver como ele se baseou no Red Hat OpenShift. Eles acharam interessante conhecer o trabalho que estávamos fazendo.”

Expansão e novas oportunidades

Após o sucesso inicial com o Red Hat OpenShift e Kubernetes, a Boehringer Ingelheim já está expandindo a tecnologia para dar suporte a novos casos de uso, como machine learning (ML), execução de bancos de dados com operadores e aumento do estado das aplicações.

“O Red Hat OpenShift evoluiu para se tornar a plataforma de aplicações em container empresarial referência do mercado”, disse Juergen Becker, Chefe Global de Serviços de Computação Empresarial da Boehringer Ingelheim. “Ele nos oferece uma implantação confiável em containers para produtos digitais e aplicações modernas em ambientes de nuvem e on-premise, para que possamos oferecer nossos serviços inovadores em todo o mundo.”

Sobre a Boehringer Ingelheim

Fundada em 1885, a Boehringer Ingelheim é uma das maiores companhias globais de pesquisa farmacêutica e tem sede em Ingelheim, na Alemanha. Seu portfólio abrange doenças respiratórias, metabolismo, imunologia, oncologia e doenças do sistema nervoso central. Com a aquisição da Merial, ela se tornou a terceira maior empresa de saúde animal do mundo.