Ir para seção

O que é um servidor Linux?

Copiar URL

Migre do CentOS Linux para um sistema operacional pronto para a nuvem

Ao fazer a transição do CentOS Linux para outro sistema operacional, é crucial escolher uma solução pronta para a nuvem. Red Hat Enterprise Linux (RHEL) é um sistema operacional open source adaptado a ambientes físicos, virtualizados, de nuvem híbrida, multicloud e também a arquiteruras de edge computing.

Servidor Linux executa uma variação do sistema operacional open source Linux. Ele é projetado para lidar com as aplicações empresariais mais exigentes, como serviços web e bancos de dados. 

Os servidores Linux oferecem uma base sólida para data centers e ambientes de carga de trabalho empresariais complexos, que incluem bare-metal, máquinas virtuais, containers e nuvens públicas ou privadas. Eles também podem pautar sua jornada de transformação digital e desenvolvimento de apps em nuvem, aumentando a produtividade, acelerarando a entrega de serviços e incorporando inovações de software, como a nuvem, containers e a automação de configurações.

Essencialmente, um servidor Linux é mais um membro da família de sistemas operacionais open source gratuitos criados com base no kernel do Linux. O sistema operacional Linux foi criado como uma versão alternativa, gratuita e open source do MINIX, que era baseado nos princípios e design do Unix. Os servidores Linux ganharam popularidade pela estabilidade, segurança e flexibilidade que proporcionam. Essas são algumas das principais funcionalidades que diferenciam os servidores Linux dos seus equivalentes proprietários.

A natureza totalmente open source do Linux ajuda a reduzir os custos de instalação e manutenção. Além disso, você tem mais flexibilidade para configurar, operar e fazer a manutenção do servidor. Os usuários também se beneficiam dos recursos e comunidades open source. Como resultado, muitas empresas decidiram adotar os servidores Linux para aproveitar essas funcionalidades. 

O sistema operacional para servidores Linux disponibiliza uma interface centralizada para o gerenciamento de usuário e implementa vários serviços de segurança e administração essenciais para operações em uma arquitetura cliente/servidor.

Os servidores Linux têm a maior base de instalação dentre todos os sistemas operacionais de uso geral. O Linux também é o sistema operacional líder em servidores e muito popular em computadores mainframe. Além disso, é único sistema operacional usado nos supercomputadores da TOP500.

Empresas com aplicações que atendem a milhares de usuários deveriam considerar a adoção os servidores Linux. Conforme a infraestrutura de TI escala para o futuro, o servidor Linux facilita o gerenciamento da plataforma e oferece flexibilidade para as integrações. Tudo isso para possibilitar uma transição sem ocorrências e compatível com o gerenciamento legado e a infraestrutura de automação

Com as rápidas e frequentes mudanças nos requisitos de escopo, segurança e gerenciamento, nunca foi tão importante evitar o downtime. E com os servidores Linux, o downtime praticamente não existe. Isso dá aos desenvolvedores de software um certo controle ao criarem ferramentas de software como serviço (SaaS) ou aplicações disponíveis em tempo real. Além disso, é possível trabalhar com várias aplicações em um único servidor. 

A equipe de TI não dependerá mais tanto do gerenciamento hands-on, podendo controlar e otimizar permissões para aumentar a segurança. Os servidores Linux são executados principalmente na linha de comando. Isso os torna mais leves e compatíveis com servidores físicos e em nuvem. Além disso, eles ajudam a maximizar o desempenho geral do sistema e simplificar o gerenciamento de repositórios (por exemplo, Docker, MySQL etc.), armazenamento, containers e muito mais.

Para implantar em ambientes físicos, virtuais e de nuvem, você precisa de um sistema operacional abrangente e escalável.O Red Hat Enterprise Linux Server orquestra recursos de hardware e pode ser executado em sistemas físicos, na nuvem ou como um guest de hipervisor. Ele funciona como base para a infraestrutura de TI, oferecendo suporte às principais plataformas de hardware (x86, ARM e IBM Power and Z). E também é compatível com muitas das cargas de trabalho e aplicações mais usadas, incluindo Oracle Database, SAP HANA e Microsoft SQL Server.

O Red Hat Enterprise Linux Server proporciona a padronização necessária para você criar a infraestrutura que você escolher e expandi-la como achar melhor. Ele também padroniza o desenvolvimento e a implantação com processos repetíveis, flexíveis, escaláveis e automatizados de criação de imagens, gerenciamento de patches e backup. Além disso, o Red Hat Enterprise Linux Server integra soluções expandidas de gestão e automação da Red Hat para ajudar você a otimizar as cargas de trabalho da equipe de TI, aumentar a eficiência e reduzir o downtime não planejado.

O modelo de subscrição do Red Hat Enterprise Linux Server permite que você escolha o período de aquisição, agrupe subscrições para facilitar a compra e migre suas subscrições entre ambientes físicos, virtuais e de nuvem para se adaptar às mudanças nos requisitos.

Com milhares de parceiros de hardware, software e nuvem certificados, o Red Hat Enterprise Linux Server oferece uma base consistente em ambientes híbridos, com suporte a praticamente todos os tipos de cargas de trabalho e oferecendo as ferramentas necessárias para entregar serviços com mais rapidez e menos esforço.

Leitura recomendada

Artigo

O que é Linux?

O Linux é um sistema operacional open source composto por um kernel, que é sua base, e ferramentas, aplicações e serviços empacotados com ele.

Artigo

O que é SELinux?

O Security-Enhanced Linux (SELinux) é uma arquitetura de segurança para sistemas Linux® que permite que administradores tenham mais controle sobre quem pode acessar o sistema.

Artigo

O que é o kernel do Linux?

O kernel é o componente principal de um sistema operacional Linux e a interface central entre o hardware e os processos executados por um computador.