Cloud computing

Cloud pública, privada ou híbrida

A cloud é a solução ideal para as organizações que querem escalar os recursos de computação. O problema é decidir qual tipo de cloud adotar: pública, privada ou híbrida. Confira uma rápida comparação entre cada ambiente de cloud computing, incluindo as vantagens, desvantagens e considerações de acordo com a circunstância.


Cloud pública

A cloud pública talvez seja a mais simples das implantações de cloud. Um fornecedor da cloud distribui plataformas, serviços e recursos de computação para vários clientes em uma rede. Essas tecnologias são desenvolvidas a partir do hardware do fornecedor e gerenciado por ele mesmo. As clouds públicas sempre têm uma arquitetura de vários locatários, ou seja, há diversas instâncias virtuais em uma única instância do software. Cada locatário (também chamado de cliente) é formado por um grupo de usuários que tem acesso comum com privilégios específicos à instância do software. Os clientes não são os proprietários dos gigabites de armazenamento onde é feito o back-up dos dados, não gerenciam as operações no farm de servidores onde o hardware está instalado e não determinam como as plataformas, aplicações ou serviços baseados em cloud são protegidos ou mantidos. Se o cliente precisar de mais recursos de computação, basta pagar ao fornecedor por hora ou por byte para ter acesso à quantidade necessária e no momento certo.

Os fornecedores de cloud pública contam com amplas redes que fornecem aos clientes (teoricamente) acesso ilimitado a recursos. O pagamento é feito de acordo com o uso, e é possível fazer a escala horizontal com rapidez se você precisar de mais recursos. Os custos iniciais costumam ser baixos, pois não há investimento em hardware. No entanto, os custos operacionais são menos previsíveis se você tiver picos de uso inesperados. Essa é a vantagem da cloud pública: você paga por mais capacidade de computação, mas somente quando necessário.

O compartilhamento de recursos tem suas desvantagens. Os ambientes de vários locatários costumam oferecer mais ameaças à segurança. Além disso, as cargas de trabalho confidenciais que exigem isolamento podem não estar em conformidade em uma cloud pública. É por isso que é importante conhecer suas responsabilidades e distribuir as cargas de trabalho de acordo com elas.


Cloud privada

A cloud privada é parecida com a pública, mas os sistemas dela são dedicados a um único cliente com acesso isolado. Assim como as públicas, o fornecimento das clouds privadas é por meio de ambientes de autosserviço (às vezes, pela Internet). No entanto, elas são protegidas por uma rede privada, configurações de privacidade ou gerenciamento. As clouds privadas oferecem um ambiente personalizável e flexível para a execução de cargas de trabalho específicas. Isso é ótimo para as aplicações corporativas legadas que podem não funcionar na cloud pública.

As clouds privadas oferecem mais eficiência da capacidade em comparação com servidores virtuais dedicados (que não são clouds), mas elas não oferecem os recursos infinitos da cloud pública. É possível adquirir mais recursos se necessário. No entanto, isso significa que o proprietário precisará comprar um novo hardware (on-premise) ou alugar infraestrutura privada adicional de um fornecedor (off-premise). Esses processos são mais demorados e mais caros do que o uso da cloud pública.

A cloud dedicada é um tipo especial de cloud que reside em uma área privada de outra cloud. É possível ter uma cloud dedicada em uma cloud pública (como o Red Hat® OpenShift Dedicated) ou em uma cloud privada. Por exemplo, é possível implantar uma cloud dedicada para o departamento de contabilidade dentro da cloud privada da organização.


Cloud híbrida

Ela aproveita o que há de melhor nas clouds públicas e privadas. Ela combina uma ou mais clouds públicas e privadas orquestradas por um software de automação e gerenciamento. Assim, é possível migrar cargas de trabalho, recursos, plataformas e aplicações entre os ambientes. Você pode incorporar infraestrutura on-premise, virtualização tradicional, servidores bare-metal e containers, mas tudo isso precisa ser adicionado junto com as clouds públicas e privadas. Sem elas, você tem apenas um ambiente híbrido, e não uma cloud híbrida.

Na cloud híbrida, ambos os ambientes de cloud são entidades únicas e separadas com potencial para conexão, integração e portabilidade entre elas. Essa arquitetura de separação e conexão possibilita que as empresas executem cargas de trabalho na implantação mais eficiente: cloud privada para as mais críticas, cloud pública para as menos confidenciais e, sempre que necessário, realocação de recursos entre os ambientes. Por exemplo, ao conectar a cloud privada à pública, você realiza a escala horizontal durante os picos ou interrupções previstas transferindo cargas de trabalho para a cloud pública. É possível fazer a escala vertical adicionando virtualização ao conjunto e a escala horizontal escolhendo a melhor cloud para a situação. As clouds híbridas têm tudo a ver com escolhas, mas essa habilidade e flexibilidade dependem dos sistemas de integração e automação que as unem.


Como escolher a cloud certa

A escolha de uma cloud depende da situação específica da sua organização*. Considere estes fatores ao analisar qual das clouds: pública, privada ou híbrida, é a mais adequada:

  • Tipos de aplicações e o uso atual e estimado delas
  • Conformidade e regulamentos que afetam as cargas de trabalho
  • Conhecimento técnico da equipe
  • Metas corporativas
  • Orçamento
  • Interoperabilidade da carga de trabalho legada
  • Planos para recuperação de desastre
  • Estratégias de integração
  • Conformidade

As clouds públicas são adequadas para:

  • Cargas de trabalho com alto volume ou demandas flutuantes.
  • Dados que não são confidenciais e cargas de trabalho menos seguras.
  • Algumas operações públicas.
  • Arquivos de dados ou armazenamento a longo prazo.
  • Projetos colaborativos.

As clouds privadas são adequadas para:

  • Cargas de trabalho com padrões de uso previsíveis.
  • Cargas de trabalho confidenciais com regulamentos rígidos de privacidade e segurança.
  • Organizações de médio a grande porte que precisam de controle aprimorado e podem pagar por esse serviço.
  • Aplicações legadas que não funcionam na cloud pública.

As clouds híbridas são adequadas para:

  • As mesmas recomendações das clouds públicas e privadas.
  • Organizações que precisam da flexibilidade operacional da cloud pública e da privacidade do ambiente privado e podem oferecer o suporte adequado ao gerenciamento da infraestrutura híbrida.
*Dependendo de como você aborda as considerações abaixo, talvez nem precise de uma cloud. Algumas cargas de trabalho tradicionais com monitoração de estado são muito compatíveis com soluções corporativas de virtualização, como o Red Hat Virtualization.

Por que escolher a Red Hat?

Vamos supor que você queira implantar algum tipo de cloud para otimizar seus negócios. Mas ao analisar as diferenças entre essas três implantações, é provável que você tenha dificuldades para saber por onde começar. Não se preocupe: todo mundo começa assim. Além de oferecermos todo o suporte necessário à adoção da cloud, também ajudamos você a manter a alta produtividade. Nossas tecnologias open source proporcionam uma base consistente para qualquer implantação em cloud, seja ela pública, privada, híbrida ou multicloud. Oferecemos a você a portabilidade necessária para garantir o sucesso em mais de 600 plataformas de cloud pública certificadas, além de soluções para implantar sua própria cloud privada. Tudo por meio de um sistema operacional padrão com desempenho consistente em qualquer ambiente, uma plataforma de containers capaz de empacotar e transferir aplicações entre clouds e ferramentas de gerenciamento e automação.


Nós podemos ajudar você a criar uma cloud segura

Oferecemos tudo o que é necessário para criar e implantar uma cloud privada segura. Isso inclui um sistema operacional que integra o Security-Enhanced Linux (SELinux) e uma plataforma de virtualização que incorpora a sVirt.

Plataforma de gerenciamento e operações que unifica ambientes de cloud híbrida. Assim, você sempre sabe quais os privilégios específicos de determinados usuários.

Ambiente operacional padrão que integra o SELinux para você executar cargas de trabalho em todos os ambientes com confiança.

O logotipo e a marca nominativa do OpenStack® são marcas registradas/marcas de serviço ou marcas comerciais/marcas de serviço da OpenStack Foundation nos Estados Unidos e em outros países, usadas com a permissão da OpenStack Foundation. Não temos afiliação, endosso ou patrocínio da OpenStack Foundation nem da comunidade OpenStack.