Login / Registre-se Account

Armazenamento

O que é armazenamento em nuvem?

Armazenamento em nuvem é o arquivamento, organização e distribuição de dados sob demanda entre volumes virtualizados que foram consolidados a partir de diferentes hardware. Ou, para simplificar, o armazenamento em nuvem é a organização de dados mantidos em um local que pode ser acessado por qualquer um na Internet que tenha as permissões necessárias. Não é preciso estar conectado a uma rede interna (isso seria o armazenamento NAS) nem acessar os dados do seu próprio disco rígido ou de hardware diretamente conectado ao seu computador. O armazenamento em nuvem conta com a virtualização para criar as nuvens onde ficam os seus dados. Pense da seguinte forma:

  • A virtualização abstrai o espaço de armazenamento de sistemas de hardware (como servidores de armazenamento).
  • As nuvens são conjuntos de recursos orquestrados por ferramentas de gerenciamento para funcionar como um único recurso. Os usuários têm acesso sob demanda às nuvens por meio de portais de autosserviço com suporte de um software de automaçãoe da alocação dinâmica de recursos.
  • Armazenamento em nuvem é o processo de salvar seus dados nesses ambientes.

Há três modalidades de armazenamento em nuvem para empresas: público, privado ou híbrido. Também existem três maneiras de formatar o armazenamento: como blocos, arquivos ou objetos. Cada formato tem seus pontos positivos e negativos – os blocos são mais rápidos, os arquivos são mais fáceis de entender e os objetos funcionam melhor com aplicações nativas em nuvem agrupados em containers. No entanto, algumas soluções de armazenamento em nuvem definido por software podem combinar os três formatos em uma solução unificada e fácil de implantar.


Como funciona o armazenamento em nuvem?

Os dados podem ser aplicados como memória de curto prazo ou arquivados como memória de longo prazo. A de curto prazo é controlada pela memória de acesso aleatório (RAM), que é responsável por processar e lembrar de todas as solicitações e ações durante o tempo em que são executadas computações específicas (conhecidas como tarefas). Depois que todas as tarefas são concluídas, os dados podem ser armazenados como memória de longo prazo em diferentes volumes, incluindo nuvens.

Os recursos de armazenamento virtual que são abstraídos do hardware físico ficam na base de todo volume de armazenamento em nuvem. As tecnologias de virtualização podem utilizar dúzias de servidores diferentes (genéricos ou proprietários) e abstrair o espaço de armazenamento deles. Todo esse espaço de armazenamento virtual pode ser agrupado em data lakes, que os usuários podem acessar como um único repositório. Se esses data lakes forem combinados com um software de automação e gerenciamento que calcule todo o espaço de armazenamento e implemente volumes conforme necessário, você terá criado um armazenamento em nuvem que poderá ser acessado via Internet ou APIs.

Todas essas tecnologias (virtualização, gerenciamento e automação) precisam trabalhar bem em conjunto para que o armazenamento em nuvem funcione. Essa conectividade depende do que talvez seja a tecnologia mais ignorada: o sistema operacional. A consistência, confiabilidade e flexibilidade do sistema operacional determinam diretamente a solidez das conexões entre recursos físicos, pools virtuais de dados, aplicações de gerenciamento, scripts de automação e usuários. E os únicos sistemas operacionais que fazem tudo isso são open source, como o Linux®.


Formatos do armazenamento em nuvem

Um único volume (como um nó de armazenamento em nuvem) é dividido em instâncias individuais, conhecidas como blocos. Este é um sistema de armazenamento rápido e de baixa latência, ideal para cargas de trabalho de alto desempenho.

O armazenamento de objetos envolve a combinação de uma parte dos dados com identificadores únicos, conhecidos como metadados. Como os objetos não estão compactados nem criptografados, eles podem ser acessados com rapidez e em grande escala, o que faz com que sejam ideais para aplicações nativas em nuvem.

O armazenamento de arquivos, tecnologia dominante usada em sistemas NAS, é responsável pela organização dos dados e sua representação para os usuários. Sua estrutura hierárquica permite a navegação pelos dados de cima para baixo, mas aumenta o tempo de processamento.


Tipos de armazenamento em nuvem

Armazenamento em nuvem pública

O que conhecemos como nuvens públicas consiste no armazenamento de dados entre pools de recursos virtuais desenvolvidos por meio de hardware proprietário e gerenciado por uma empresa terceirizada. Há certos riscos em não ser o proprietário ou gestor dos sistemas que armazenam seus dados. Por isso, muitas organizações usam containers para migrar cargas de trabalho e aplicações entre ambientes de nuvem pública. Soluções de armazenamento persistente, como o Red Hat® Gluster Storage, ajudam a evitar falhas nesses containers, o que poderiam resultar na perda de todos os dados das aplicações stateful.

Armazenamento em nuvem privada

Armazenamento de dados entre pools de recursos virtuais conhecidos como nuvens privadas, originadas de sistemas dedicados normalmente de propriedade da empresa e gerenciados por ela. Como a configuração manual de uma nuvem privada de escala corporativa pode ser menos eficiente a longo prazo do que a utilização de aplicações já existentes, as empresas usam plataformas como o OpenStack® para transformar digitalmente pools de recursos virtuais em nuvens privadas.

Dois dos seis projetos do OpenStack são responsáveis pelo armazenamento e pela recuperação de imagens. Quando combinados com soluções de armazenamento definido por software, como o Red Hat Ceph Storage, as empresas têm mais opções para arquivar dados de formas e em locais que não prejudiquem o desempenho de grandes nuvens privadas.

Armazenamento em nuvem híbrida

Armazenamento de dados em uma combinação de dois ou mais ambientes de nuvem interconectados, sejam públicos ou privados. Embora os ambientes de nuvens públicas e privadas que formam uma nuvem híbrida sejam entidades separadas, a migração de dados entre elas é facilitada por uma rede complexa de LANs, WPNs, interfaces de programação de aplicações (APIs) e VPNs ou containers. É essa arquitetura independente, porém conectada, que possibilita às empresas armazenar dados críticos na nuvem privada, dados menos confidenciais em uma nuvem pública e, sempre que necessário, transferir dados entre esses ambientes.

O maior facilitador do armazenamento em nuvem híbrida para empresas é o armazenamento nativo em container, que elimina a necessidade de uma plataforma de armazenamento independente. Uma plataforma de container integrada pode abrigar a nuvem híbrida com maior eficiência e oferecer às empresas um único local de controle, sem importar em qual ambiente de nuvem os dados residem.


E se eu quiser ter somente armazenamento virtual?

diferenças importantes entre cloud computing e virtualização. Por conta delas, algumas empresas preferem o armazenamento virtual ao armazenamento em nuvem. Isso pode estar relacionado às diretrizes de conformidade e regulamentação. No entanto, esses setores ainda precisam fornecer escalabilidade de armazenamento como a da nuvem em implantações virtuais.

Por exemplo, consideremos as organizações com operações distribuídas, como o setor bancário. Agências remotas precisam acessar redes tradicionais por meio de quatro camadas: rede, computação, armazenamento e redes de área de serviço ou NAS. A solução ideal seria colocar um datacenter refrigerado no porão de cada agência, mas isso não é possível devido a limitações de espaço e/ou pessoal. Por isso, algumas soluções de armazenamento virtual, como o Red Hat Hyperconverged Infrastructure, combinam duas das camadas de armazenamento para otimizar a implantação e o gerenciamento do armazenamento virtual.


Por que escolher a Red Hat?

Por que escolher a Red Hat para a migração para a nuvem?

Porque oferecermos todo o suporte necessário para você migrar para a nuvem e ser produtivo nela. Nossas tecnologias open source proporcionam uma base consistente para qualquer implantação em nuvem, seja ela pública, privada, híbrida ou multicloud.

Por que escolher a Red Hat para soluções de armazenamento?

Porque aprimoramos o armazenamento definido por software, o modo intrinsecamente aberto como as empresas solucionam os desafios de armazenamento atuais, e o transformamos em open source para que você tenha total liberdade para decidir onde e como armazenar seus dados.

Como configurar o armazenamento em nuvem

Red Hat Openstack Platform

Uma plataforma para sua empresa criar uma nuvem privada.

Red Hat Ceph Storage

Uma plataforma de armazenamento definido por software que funciona ainda melhor com o OpenStack.

Red Hat Openshift

Empacote e isole aplicações com todos os arquivos necessários para a execução. Dessa forma, é possível migrar cargas de trabalho e dados para qualquer ambiente de nuvem.

Red Hat Gluster Storage

Uma plataforma de armazenamento de arquivos definido por software que funciona ainda melhor com os containers.

Red Hat Virtualization

Ofereça escalabilidade como a da nuvem com a implantação de dezenas ou centenas de máquinas virtuais.

Red Hat Hyperconverged Infrastructure

Uma combinação de virtualização e armazenamento que aprimora os recursos de armazenamento para locais físicos com espaço limitado.

  1. A marca nominativa e o logotipo OpenStack, em conjunto ou separados, são marcas comerciais ou registradas da OpenStack Foundation nos Estados Unidos e em outros países, usadas com a permissão da OpenStack Foundation. A Red Hat, Inc. não é afiliada, endossada ou patrocinada pela OpenStack Foundation ou pela comunidade OpenStack.

Você pode fazer muito mais com o armazenamento