Armazenamento

O que é o armazenamento definido por software?

O armazenamento definido por software (SDS) é uma arquitetura de armazenamento que divide o software de armazenamento de seu hardware. Ao contrário dos sistemas de armazenamento de dados em rede (NAS) tradicional ou de rede de área de armazenamento (SAN), o SDS normalmente é desenvolvido para funcionar em qualquer sistema x86 ou padrão do setor, removendo a dependência do software sobre o hardware proprietário.

Com o desacoplamento do software de armazenamento de seu hardware, sua capacidade de armazenamento aumenta conforme necessário e você não precisa se esforçar para adicionar outra parte de hardware proprietário. Ele também permite que você faça upgrade/downgrade do hardware sempre que quiser. Basicamente, o SDS aumenta muito a sua flexibilidade.

Veja como ele funciona. Vamos supor que há vários servidores X86 diferentes. Cada um tem uma capacidade de armazenamento diferente e precisa de um tipo diferente de software de armazenamento para funcionar. Com o SDS, você pode remover a capacidade de armazenamento dessas partes inflexíveis do hardware e colocá-las em um local infinitamente mais flexível e escalável. Ele também permite que você amplie sua capacidade de armazenamento quase instantaneamente, o que faz com que seja mais econômico, flexível e escalável. No entanto, o SDS não é uma cloud (abordaremos esse assunto mais à frente).

O SDS faz parte de um ecossistema maior que pode ser definido livremente como "tudo definido por software", em que todos os sistemas de software ficam separados de todos os de hardware. Dessa forma, você tem liberdade para escolher o hardware e a quantidade de armazenamento realmente necessária.

Na maioria dos casos, o SDS deve ter:

  • Automação: gerenciamento simplificado que mantém os custos baixos.
  • Interfaces padrão: uma interface de programação de aplicativos (API) para gerenciamento e manutenção de dispositivos e serviços de armazenamento.
  • Um caminho de dados virtualizados: interfaces de bloco, arquivo e objeto que oferecem suporte para aplicativos feitos para essas interfaces.
  • Escalabilidade: a capacidade de oferecer escalabilidade horizontal para infraestrutura de armazenamento sem prejudicar o desempenho.
  • Transparência: a capacidade de monitorar e gerenciar o uso de armazenamento sabendo quais recursos estão disponíveis e quais são os custos.

Como funciona o armazenamento definido por software?

O armazenamento tradicional é monolítico. Além disso, ele é vendido como um pacote de hardware (um padrão do setor frequente) e como software proprietário. Mas a utilidade do SDS é não depender de nenhum hardware específico.

O SDS não separa o armazenamento do hardware. Em vez disso, ele é apenas uma camada de seu stack de tecnologia, que fornece vários serviços com uso de servidores padrão do setor, em vez de hardware proprietário. Basicamente, o SDS abstrai tudo o que controla as solicitações de armazenamento, e não o que está realmente armazenado. É uma camada de software entre o armazenamento físico e a solicitação de dados. Dessa forma, você tem controle de como e onde os dados são armazenados. O software controlador de SDS fornece serviços de acesso ao armazenamento, rede e conectividade. A característica mais importante do software controlador de SDS é que ele não tira conclusões sobre a capacidade ou a utilidade do hardware subjacente.


Quais são os benefícios do armazenamento definido por software?

  1. Você pode escolher o hardware que executará seus serviços de armazenamento. O SDS escolhido não precisa ser da mesma empresa que vendeu o hardware. Você pode usar qualquer base ou servidor x86 para criar uma infraestrutura de armazenamento baseada em SDS. Isso significa que você pode maximizar a capacidade do hardware existente de acordo com as necessidades do armazenamento.
  2. É econômico. O SDS é distribuído e tem escalabilidade horizontal em vez de vertical, o que permite que você ajuste a capacidade e desempenho independentemente.
  3. Você pode participar de várias fontes de dados para criar sua infraestrutura de armazenamento. Você pode usar plataformas de objeto em rede, sistemas de disco externos, recursos flash ou em disco, servidores virtuais e recursos baseados em cloud (até mesmo os dados dedicados a cargas de trabalho) para criar um volume de armazenamento unificado.
  4. O SDS pode ser ajustado automaticamente com base nas suas necessidades de capacidade. Como o SDS não depende de hardware, a automação pode usar qualquer volume de armazenamento ao qual está conectada. O sistema de armazenamento pode se ajustar às necessidades e ao desempenho dos dados sem intervenção do administrador, de novas conexões ou novo hardware.
  5. O céu é o limite. As redes de área de armazenamento tradicionais são limitadas à quantidade de nós (dispositivos com endereços IP atribuídos) que podem usar. O SDS, por definição, não é limitado da mesma maneira. Isso significa, teoricamente, que sua escalabilidade é infinita.

O que você pode fazer com o armazenamento definido por software?

Aproveite ao máximo seus aplicativos de container com a execução de armazenamento persistente dentro deles ou aproveite ao máximo seu armazenamento com a execução de SDS nos containers.

Suporte para arquiteturas de cloud privada, pública e híbrida com a agilidade e a escalabilidade necessárias.

Analise data lakes enormes com rapidez e segurança para ter melhores insights de negócios.

Elimine a camada de armazenamento separada e combine-a com instâncias de servidor virtualizadas em toda a empresa.

Armazene, faça backup e recupere petabytes de dados de forma flexível e confiável.

Amplie seu armazenamento de rich media todos os dias, porque você sempre precisará de mais.


O que você precisa para executar o armazenamento definido por software?

O SDS pode ser executado em quaisquer servidores e discos padrão do setor, e é por isso que ele é importante. Diferente de outros tipos de armazenamento, o SDS depende mais do seu próprio software do que do hardware em que está baseado. O SDS presume que o hardware falhará em algum momento, seja qual for seu custo ou tempo de vida útil. Então, ele planeja para essa falha distribuindo cargas de trabalho na infraestrutura.

Isso também significa que o SDS pode ser executado no sistema operacional padrão do servidor e em uma máquina virtual (VM). Alguns produtos do SDS podem até ser executados em containers, o que permite que os usuários gerenciem aplicativos e armazenem serviços por uma interface, independentemente da infraestrutura em que o container reside (bare-metal, virtual ou cloud).


O que o software definido por software não é

O SDS não é virtualização de armazenamento

Tanto o SDS quanto a virtualização de armazenamento envolvem a abstração de algum componente do hardware do armazenamento, mas os conceitos não são iguais. Com a virtualização de armazenamento, a capacidade de muitos dispositivos de armazenamento pode ser agrupada de forma que pareça que todo o armazenamento está em um dispositivo. Por outro lado, o SDS abstrai os serviços de armazenamento, ou software de armazenamento, e os separa do próprio dispositivo.


O SDS não é uma cloud

As clouds são pools de recursos virtuais que podem ser acessadas sob demanda por meio de portais de autosserviço, o que é facilitado pelo software de gerenciamento e automação. O SDS também conta com muitas dessas vantagens. Portanto, é normal pensar que o SDS é uma cloud. Mas o SDS é apenas uma camada que ajuda a alimentar os dados em uma cloud e funciona em um ambiente de cloud para fornecer armazenamento unificado. Ou seja, o SDS tem recursos de armazenamento em cloud, como acesso em rede e software de automação e gerenciamento, que permitem que você tenha escalabilidade rapidamente e forneça serviços medidos. Devido a esses recursos, o SDS é muito parecido com o armazenamento em cloud.


O SDS não é igual ao NAS

O SDS parece não estar conectado a uma rede, porque ele ainda exige algum tipo de conexão, assim como qualquer sistema de armazenamento corporativo. O NAS organiza e compartilha arquivos, e o SDS controla o volume de armazenamento em si. O NAS pode ser implantado em uma camada de SDS (o Red Hat® Gluster Storage é essencialmente uma interface de NAS), mas o SDS separa os volumes de armazenamento físico do hardware do sistema de controle.


O futuro do armazenamento definido por software

À medida que a Internet das Coisas, a conectividade mobile, as mídias sociais e as empresas crescem, também aumenta a necessidade de armazenamento (o armazenamento nunca é suficiente). Esse é um ponto problemático para o cliente, que engloba desafios, como o suporte ao aumento de capacidade, a previsão de uso, a obtenção de economias e o tamanho ideal das equipes. À medida que as necessidades de armazenamento aumentam, os clientes buscam diminuir o gerenciamento manual e aumentar a automação. Com o SDS, empresas como a sua podem colocar volumes de armazenamento em operação sem se preocupar com a integração desses volumes a outros sistemas. Devido à sua liberdade inerente, transparência e economia, o SDS ajuda você a fazer muito mais com muito menos.

Tudo o que você precisa para estabelecer o armazenamento definido por software

Uma plataforma de armazenamento de arquivos definida por software para lidar com tarefas de alta capacidade, como backup e arquivamento, além de tarefas de alto desempenho, como virtualização. Essa solução funciona muito bem com containers e transmissão de mídia.

Uma plataforma de armazenamento de objetos definida por software também fornece interfaces para armazenamento em bloco e de arquivos. Ela oferece suporte para infraestrutura de cloud, repositórios de mídia, backup e sistemas de restauração e data lakes. Ele funciona melhor com o Red Hat OpenStack® Platform.

A marca nominativa e o logotipo OpenStack, em conjunto ou separados, são marcas comerciais ou registradas da OpenStack Foundation nos Estados Unidos e em outros países, usadas com a permissão da OpenStack Foundation. A Red Hat, Inc. não é afiliada, endossada ou patrocinada pela OpenStack Foundation ou pela comunidade OpenStack.

Você pode fazer muito mais com o armazenamento definido por software