Ir para seção

O que é gerenciamento de dados?

Copiar URL

O gerenciamento de dados é o processo de coletar, armazenar e usar os dados, o que costuma ser viabilizado por softwares específicos. Esse processo permite compreender quais dados você tem, onde eles estão localizados, quem é o proprietário, quem pode vê-los e como são acessados. O gerenciamento de dados capacita as organizações a implantarem sistemas e aplicações importantes de forma segura e econômica, além de ajudar na tomada de decisões estratégicas.  

Dentro do escopo mais amplo do gerenciamento de dados, há uma área especializada conhecida como gerenciamento de dados empresariais (EDM). O EDM é o processo de inventariar e controlar os dados de uma empresa, assegurando que a organização esteja alinhada a essa atividade.

Uma boa estratégia de gerenciamento de dados determina a capacidade de uma organização de escalar e se adaptar aos processos e necessidades empresariais em transformação. Ela oferece às equipes informações e confiança para agir mais rápido e de maneira mais inteligente.

Os sistemas de gerenciamento de dados ajudam as organizações a passar as informações certas para as pessoas corretas no momento ideal. Com controles e implementação apropriados, os fluxos de trabalho do gerenciamento de dados oferecem as informações analíticas necessárias para tomar as melhores decisões. O gerenciamento de dados é um recurso necessário para garantir que as informações empresariais importantes estejam seguras, acessíveis e escalonáveis. O seu processo de gerenciamento de dados deve:

  • Gerar e selecionar dados na infraestrutura.
  • Armazenar e escalar dados na nuvem e/ou on-premises.
  • Estabelecer uma alta disponibilidade
  • Ter um plano para a recuperação de desastres.
  • Manter segurança e controlar o acesso a dados, onde e como possível.
  • Auditar e destruir dados de acordo com os requisitos de conformidade
  • Inspirar a criação de aplicações inteligentes usando os serviços de dados.

A governança de dados é uma parte importante de qualquer solução de gerenciamento de dados. Ela assegura a precisão, usabilidade e segurança dos dados por meio da definição de diretrizes e protocolos claros. Sem uma governança robusta, o gerenciamento de dados fica caótico e inconsistente. Enquanto o gerenciamento inclui a criação, a seleção e a produção dos dados da organização, a governança regula o uso e a segurança dos dados de acordo com os padrões e políticas internas da organização e regulamentos externos.

O gerenciamento de dados inclui muitos componentes de arquitetura que as organizações precisam considerar enquanto solucionam suas necessidades empresariais de dados. Esses aspectos do gerenciamento de dados transformam os dados em um ativo estratégico. 

  • O armazenamento de dados coleta e retém as informações digitais, como os bits e bytes das aplicações, protocolos de rede, documentos, mídias, catálogos de endereços, preferências dos usuários e muito mais.
  • A preparação dos dados apronta os dados brutos para a análise, corrigindo os erros e consolidando fontes diferentes.
  • Os catálogos de dados categorizam os metadados para que os usuários encontrem, entendam e usem os dados importantes para eles. Tudo com mais facilidade.
  • O data warehouse armazena dados em um modelo estruturado projetado para a geração de relatórios. 
  • A extração, transformação e carregamento (ETL) extrai dados de um banco, transforma-os em um novo formato e faz o carregamento deles em um data warehouse.
  • Os pipelines de dados transferem e processam automaticamente os dados vindos de um sistema para outro em tempo real.
  • Os data lakes armazenam conjuntos grandes e variados de dados sem estrutura em seu formato nativo. Isso permite que você tenha uma visão não refinada dos dados. 
  • A arquitetura de dados define formalmente como os dados serão coletados, armazenados, transportados e usados.
  • A modelagem de dados aborda como os dados se deslocam por uma empresa ou aplicação.
  • A malha de dados descentraliza dados analíticos para torná-los mais acessíveis e disponíveis entre equipes e locais.
  • Os data grids potencializam os computadores de uma organização de forma coletiva para concluir tarefas mais pesadas. 
  • A federação de dados coleta dados de várias fontes e os prepara para funcionarem juntos.

Os sistemas de gerenciamento de bancos de dados (DBMS) são semelhantes às ferramentas de gerenciamento de processos empresariais e de planejamento de recursos empresariais (ERP). Eles mantêm os dados para automatizar ou supervisionar esse tipo de gerenciamento. Por outro lado, o software de gerenciamento de dados funciona como a plataforma básica de coleta, análise e integração de amplos volumes de dados em uma organização. Muitas vezes, ele inclui ferramentas desenvolvidas pelos fornecedores externos ou de banco de dados, o que assegura a operação otimizada dos dados.

Um sistema de gerenciamento de dados empresariais é um formato avançado do DBMS para organizações de grande porte. Ele assegura a integridade, segurança e acessibilidade dos dados em vários departamentos. O DBMS relacional usa a linguagem de programação SQL para estruturar e conectar os dados. Já os bancos de dados NoSQL são melhores para dados não estruturados.

Os dados só têm valor quando podem ser protegidos, processados e utilizados. Potencializar seus dados é vantajoso, mas é uma tarefa complexa. À medida que as empresas são alimentadas com dados em maior quantidade e velocidade, os desafios vão surgindo. 

  • Volume: os fluxos de dados ocorrem em tamanhos maiores e formatos diferentes. Dessa forma, é fácil perder a noção de onde eles estão e quais dados você tem. 
  • Integração e sincronização de dados: é mais difícil consolidar os dados de diferentes fontes de forma estratégica e eficiente quando eles se tornam mais complexos.  
  • Silos: os dados que não são integrados não podem trabalhar juntos, resultando na perda de potencial e recursos desperdiçados. 
  • Armazenamento e processamento de dados: as equipes de TI devem determinar para onde os dados devem ir e como devem ser processados a fim de ter o maior impacto possível. 
  • Custos: o processamento e o armazenamento de dados geram mais custos, seja na nuvem ou on-premise. É importante avaliar esses custos junto com os objetivos empresariais e o valor de seus dados. 
  • Conformidade: a não conformidade com o setor e com os padrões de privacidade de dados podem resultar em multas, falhas na segurança dos dados, perda da certificação ou outro risco aos seus negócios. 
  • Gravidade dos dados: os dados têm o poder de atrair aplicações e serviços de acordo com o seu volume. Conjunto de dados maiores e componentes atraídos se tornam mais difíceis de migar ao longo do tempo. 

O termo big data se refere a dados tão volumosos e complexos que não são mais processáveis por métodos tradicionais. Muitas vezes, isso exige ferramentas avançadas de data analytics. O gerenciamento de big data organiza e administra os dados com o intuito de oferecer informações em tempo real para que você possa usá-las para aprimorar os negócios.

A análise e classificação de big data localizam informações importantes de forma rápida de uma variedade de fontes. Pode ser difícil integrar, limpar e governar grandes conjuntos de dados. Entretanto, estabelecer uma arquitetura forte e uma estratégia de dados cuidadosa ajudam você a fazer a escala de forma eficaz, atender aos objetivos empresariais e juntar análises de dados de qualidade. Ter big data requer uma plataforma de gerenciamento que seja compatível com integração e automação.

O gerenciamento do ciclo de vida dos dados (DLM) são as pessoas e principalmente as ferramentas e processos que controlam e governam os dados ao longo do tempo de vida, da criação à exclusão. Isso inclui capturar, armazenar, compartilhar, arquivar e destruir dados.

Sua estratégia de DLM deve manter suas informações seguras, precisas e acessíveis. Além disso, deve cumprir com os requisitos regulatórios, como o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (GDPR). Os produtos do DLM frequentemente automatizam esse processo, separando dados em níveis com base nas políticas de governança e migrando-os entre níveis.

Dados mestres se referem às informações empresariais críticas e compartilhadas que contextualizam os dados transacionais e viabilizam as principais funções da organização. Eles oferecem uma base para as transações empresariais e permitem que a organização compare os dados de forma consistente entre os sistemas. Clientes, soluções e localizações são algumas das entidades que compõem os dados mestres. 

Com o software de gerenciamento de dados mestres (MDM), você tem os recursos para gerenciar a precisão, integridade e distribuição dos principais dados da empresa de maneira centralizada. Uma estratégia de MDM unificada evita que dados importantes se separem e formem silos nos sistemas. Além disso, previne erros de acúmulo ao manter uma única fonte de informações. 

Os sistemas do MDM oferecem uma visão geral dos dados mestres de uma empresa em diferentes fluxos, além de uma visualização de dados em tempo real e funcionalidades de segurança.

Plataformas de gerenciamento de dados executam muitas funções importantes, como localizar e resolver erros, dividir os recursos e otimizar os sistemas para melhor desempenho. Muito disso é feito de forma automatizada, o que reduz custos e aumenta a eficácia. É importante manter as práticas recomendadas de gerenciamento de dados ao usar essas plataformas. 

  • Avalie os dados que você tem: é essencial que equipes de TI, cientistas de dados e executivos empresariais entendam quais dados você está gerando e por que eles são importantes. 
  • Alinhe seus dados com seus objetivos empresariais: não mantenha dados de que não precisa. É importante conhecer os dados que afetam os negócios, já que saber disso mantém os sistemas e a manutenção otimizados e ajuda você a localizar os dados que realmente importam.
  • Otimize o banco de dados: assegure a escalabilidade e o desempenho deles à medida que você utiliza diferentes fontes de dados. Muitos bancos de dados oferecem algoritmos avançados e funcionalidades de machine learning e inteligência artificial para você tomar decisões embasadas com seus dados. 
  • Mantenha a alta qualidade dos dados: conserve os dados de forma precisa e atualizada com verificações regulares de qualidade, desde atualizações rotineiras a correções de ortografia e formatação. 
  • Faça a governança dos seus dados e dê acesso a eles para as pessoas certas: atualize as equipes, políticas e sistemas para assegurar a integridade dos dados, como eles são usados, armazenados e exibidos. 
  • Dê atenção à segurança e conformidade: treine suas equipes e proteja os sistemas para estarem em conformidade com as regulamentações e mantenha as informações e dados da empresa seguros.  

De acordo com a IDC, o Red Hat® Enterprise Linux® é a principal escolha dos clientes para implantações empresariais importantes. Isso se deve à sua estabilidade, segurança e desempenho, que oferecem consistência em todos os ambientes da infraestrutura, seja on-premise, virtual, na nuvem ou na edge. Com um local centralizado para sua solução de gerenciamento de dados, é possível se manter ágil e cumprir com seus objetivos contínuos de transformação e inovação.

O Red Hat Enterprise Linux inclui vários servidores de bancos de dados open source conhecidos, como MariaDB, MySQL e PostgreSQL.  Várias versões desses pacotes de bancos de dados são entregues como fluxos de aplicação e atualizadas com mais frequência do que os pacotes básicos do sistema operacional. Isso oferece mais flexibilidade para personalizar o Red Hat Enterprise Linux sem prejudicar a estabilidade subjacente da plataforma ou implantações específicas.

Além dos bancos de dados open source, o Red Hat Enterprise Linux aprimora o desempenho, gerenciabilidade e confiabilidade dos sistemas empresariais de gerenciamento de bancos de dados.  Por exemplo:

O Red Hat Enterprise Linux for SAP® Solutions foi criado para acomodar as cargas de trabalho importantes para os negócios. Essa é a plataforma que oferece aos clientes SAP a capacidade de fazer a padronização no Linux e de realizar a modernização com confiança. Com o dashboard do Red Hat Insights para SAP, os clientes analisam e gerenciam os sistemas com facilidade. Nossa tecnologia aumenta a eficiência do usuário por meio de recursos líderes do mercado, como funções de sistema, aplicação de patches ao kernel em tempo real e proteção de memória. Os clientes podem priorizar a segurança com a utilização do SELinux ou de outras funcionalidades avançadas. Além disso, o Red Hat Enterprise Linux é a única solução de alta disponibilidade certificada em SAP para o SAP S/4HANA® on Power LE. Com ele, entregamos aplicações e serviços on-premise e na nuvem usando uma plataforma híbrida aberta.

O Red Hat Enterprise Linux é uma plataforma econômica e de alto desempenho para Microsoft SQL Server. Com ele, você processa grandes volumes de dados com rapidez e atende às demandas analíticas e operacionais cada vez maiores. Ele oferece uma base escalável e uma experiência de aplicação consistente, seja em ambientes de bare-metal, máquina virtual, container ou nuvem híbrida. Incluídas na plataforma, as funcionalidades analíticas identificam ameaças contra a segurança, disponibilidade, estabilidade e o desempenho, além de disponibilizar instruções sobre como evitar problemas, interrupções e downtime não planejados. O Red Hat Enterprise Linux é uma plataforma de referência da Microsoft para SQL Server no Linux. O RHEL 8 tem um desempenho memorável no SQL Server. 

O Red Hat OpenShift® Data Science é um serviço na nuvem gerenciado para cientistas de dados e desenvolvedores de aplicações inteligentes. Ele oferece um sandbox com suporte completo para desenvolver, treinar e testar rapidamente modelos de machine learning (ML) na nuvem pública antes de serem implantados na produção. 

Leitura recomendada

Artigo

O que é gerenciamento de configuração?

O gerenciamento de configuração é um processo de manutenção consistente em sistemas, servidores e softwares. O gerenciamento pode ser automatizado.

Artigo

O que é o gerenciamento do ciclo de vida de aplicações (ALM)?

O gerenciamento do ciclo de vida de aplicações (ALM) abrange as pessoas, as ferramentas e os processos que gerenciam o ciclo de vida de uma aplicação, desde o conceito até o fim do ciclo.

Artigo

O que é o SOE?

O SOE é um ambiente operacional padrão, ou um sistema operacional de computador e a coleção de software específicos que um departamento de TI define como a versão padrão.

Leia mais sobre o Red Hat Enterprise Linux

Soluções Red Hat

Uma plataforma estável e comprovada, versátil o suficiente para lançar novas aplicações, virtualizar ambientes e criar uma nuvem híbrida mais segura.

Conteúdo adicional

Conteúdo de analistas

Para cenários SAP, a migração significa muito mais do que apenas Linux

Conteúdo de analistas

IDC: O impacto econômico do Red Hat Enterprise Linux

Treinamentos Red Hat

Treinamento gratuito

Red Hat Enterprise Linux Technical Overview